O marco operacional que estrutura e orienta a execução e desenvolvimento da BVS está baseado no trabalho cooperativo em rede, que é operacionalizado em três dimensões, diferentes entre si e intrinsecamente relacionadas e complementares: as redes sociais, de conteúdos e de ambientes aprendizes e informados (AAI). A BVS é o espaço virtual para o qual estas três dimensões convergem resultando em uma única rede. O sentido de rede aqui empregado se refere à estrutura e forma que representa a dinâmica das inter-relações estabelecidas entre as instituições, pessoas, sistemas, informação e conhecimento, que constituem e perpassam cada uma destas dimensões.

A rede social é constituída pelas instituições públicas ou privadas, organizações não-governamentais e instâncias de governo de gestão, pesquisa, ensino e serviços em saúde, e profissionais que atuam na BVS como produtores – agentes da produção de informação, conhecimento e evidência científica e técnica; intermediários – profissionais da informação que atuam nas mais diferentes instituições de informação e documentação, tais como bibliotecas, arquivos e centros de documentação; e usuários, incluindo-se gestores, profissionais, pesquisadores, estudantes e cidadãos no exercício do seu direito à informação e à saúde.

A rede social é fator crítico para a sustentabilidade da BVS no cumprimento dos seus objetivos de prover informação científica e técnica em saúde e de promover o intercâmbio de conhecimento em rede. Os atores que a constituem reorientam sua atividade de produção e organização de informação e conhecimento para um novo modo de trabalho pautado no compromisso de produção e operação cooperativa em rede de produtos – fontes de informação da BVS, tais como coleções de textos completos, de evidências etc.; de serviços – expressos pelos diferentes contextos de apresentação dos produtos, de acordo com as necessidades de informação dos usuários potenciais, por exemplo, opção por idiomas, buscas temáticas, fotocópias, etc.; e de eventos – representados pelos fluxos de informação gerados de forma pontual e dinâmica nos encontros, congressos, fóruns e outros canais de comunicação e intercâmbio de conhecimento.

Ao integrar a BVS, as redes sociais da saúde fortalecem a visibilidade da sua produção científica, aumentam a capacidade de exercer suas práticas de forma mais informada e potencializam a comunicação e o intercâmbio de conhecimento entre seus pares.

Quanto maior o nível de articulação e socialização da rede social, maior a capacidade da BVS em atuar como espaço de convergência e referência dos produtos, serviços e eventos de informação em saúde. O conjunto destes produtos, serviços e eventos forma as fontes e promove os fluxos de informação em saúde conformando, por sua vez, a dimensão da rede de conteúdos da BVS.

Uma fonte de informação é qualquer recurso que responda a uma necessidade de informação dos usuários. Nesta concepção a BVS amplia e enriquece as coleções tradicionais das bibliotecas, constituídas principalmente por documentos bibliográficos, e agrega novos tipos de materiais a estas coleções, como textos completos, evidências, objetos de aprendizagem, notícias, espaços colaborativos, mecanismos de busca, manuais, informação factual como diretórios de instituições e eventos, entre outros.

As instituições que compõem a rede social da BVS compartilham a responsabilidade de produção e operação da rede de conteúdos. A adoção do trabalho cooperativo em rede é determinante para o aumento da acessibilidade e visibilidade da informação científica em saúde da região.

Para que as instituições e os conteúdos sejam estruturados e operados como redes cooperativas é preciso criar mecanismos que potencializem e fortaleçam os vínculos e relações de troca entre estes agentes. Os ambientes, tanto presenciais como remotos – eventos de capacitação, instituições participantes da BVS, espaços colaborativos virtuais, entre outros – são fortalecidos com funcionalidades e práticas – publicação de notícias e informes, socialização de agendas e compartilhamento de informação organizacional – aumentando de forma contínua e crescente sua capacidade de aprendizagem. Na BVS, estes mecanismos constituem a dimensão da rede de ambientes aprendizes e informados (AAI).

Assim, as instituições e indivíduos que participam da BVS, são estimulados a compartilhar informação, experiências e conhecimento para a solução de problemas e criação de processos inovadores, explorando plenamente sua capacidade de atuar como ambientes aprendizes e informados. A aprendizagem e a participação social ajudam a criar as conexões necessárias entre o saber e o fazer e os espaços colaborativos promovem aproximações para contornar as diversas lacunas de conhecimento.

A dinâmica de trabalho em rede proposta pela BVS em sintonia com o paradigma da Internet possibilita novas formas de relações pautadas na colaboração, caracterizando-se como um importante recurso para realizações coletivas. A força da BVS está em potencializar as interconexões entre os nós das redes sociais, de conteúdos e de ambientes aprendizes e informados contribuindo para a construção coletiva de uma identidade e bem público e comum.