Os cenários de evolução ajudam na compreensão sobre os diferentes estágios de desenvolvimento de uma instância BVS. Essa definição é baseada em indicadores e critérios de qualidade que expressam o grau de maturidade da mesma.

A definição do cenário ou estágio é determinada por meio de uma avaliação, que busca apoiar as etapas de planejamento e desenvolvimento das instâncias BVS, apontando projeções futuras, fatores críticos de sucesso e alternativas de fortalecimento. Atualmente cada instância da BVS é classificada em três distintos cenários de evolução – piloto, em desenvolvimento e certificada, descritos a seguir:

• Cenário 1:“Piloto ou Posta em Marcha da BVS” – compreende a etapa inicial de articulação e debate entre os atores sociais que participam como produtores, intermediários e usuários das fontes e fluxos de informação, com o objetivo de promover a adoção plena do paradigma da BVS de trabalho cooperativo em rede para a gestão da informação científica e técnica. Esta mudança de paradigma pode implicar muitas vezes, na adaptação e realinhamento de produtos e serviços de informação existentes para operarem no espaço da BVS. A elaboração do Projeto e do Plano de Ação são importantes para evolução da BVS nesta etapa, assim como o estabelecimento de espaços colaborativos ou comunidades virtuais.

• Cenário 2: “BVS em Desenvolvimento” – este cenário tem como característica principal a conformação e/ou fortalecimento e a expansão das redes social e de conteúdos. A BVS busca o fortalecimento do trabalho cooperativo e descentralizado, além da publicação e atualização da rede de conteúdos e fontes de informação. Fase de consolidação da BVS, incluindo-se a definição da arquitetura da informação e da identidade visual.

Neste contexto, o estabelecimento de atividades de promoção e divulgação da BVS, assim como de capacitação, são determinantes para seu fortalecimento.

• Cenário 3 “Certificada” – o maior grau de maturidade de uma instância BVS é atingido quando ela é reconhecida como espaço de referência para o acesso à informação e intercâmbio de conhecimento na área. A característica fundamental deste cenário é a consolidação do espaço virtual da BVS como espaço comum, adotado plenamente pelos produtores, intermediários e usuários da informação científica e técnica em saúde. Neste contexto, as instâncias BVS atingem alto grau de autonomia em relação às metodologias e aplicativos BVS, trabalhando, de forma descentralizada e cooperativa, e atuando como multiplicadoras das ações de cooperação técnica de capacitação, tanto para ampliação da sua própria rede social e de conteúdos, como para outras instâncias BVS.

Esses cenários evoluem de acordo com as condições dos diferentes contextos, sinalizando o caminho a seguir para o desenvolvimento das instâncias BVS. A perspectiva é sempre a de atingir o cenário em que a BVS seja reconhecida e utilizada como o espaço de convergência para organização, indexação, preservação, acessibilidade, avaliação e uso das fontes e fluxos de informação científica e técnica em saúde (certificação).

Ainda que a definição destes cenários sinalize a intenção de uma evolução contínua e progressiva das instâncias BVS, são sempre aproximações da realidade e, neste sentido, limitados em relação à complexidade dos elementos envolvidos no processo. Assim, a busca pela evolução e o alcance dos diferentes cenários nunca é uma prática linear e sequencial, em que existe a garantia de sua realização frente ao atendimento de requisitos. Mais do que definições fechadas, o desenho destes cenários contribui para que a análise sobre o desenvolvimento da BVS não seja desprovida do contexto onde este processo está inserido. A seguir é descrito como o processo de avaliação das instâncias BVS é realizado.