Um dos tipos de fonte de informação que compõem a BVS é o conjunto de componentes integradores (tipo 6, ver em Tipologia das fontes de informação), constituídos pelas metodologias que definem a função e objetivo das fontes – como definições de estrutura de campos, normatização da descrição dos dados, entre outros aspectos, expressos nos diferentes manuais, guias e procedimentos. Fazem parte ainda deste conjunto de metodologias, os recursos tecnológicos – aplicativos, protocolos de linguagem, entre outros – associados a cada fonte de informação. Os recursos tecnológicos na BVS são desenvolvidos e adotados a partir e de forma coerente com a função das fontes de informação, com o objetivo de permitir sua implantação e operação.

Todas as metodologias e aplicativos que compõem a BVS visam promover e apoiar a gestão e operação das fontes de informação de forma descentralizada, por meio do trabalho cooperativo em rede, ampliando a visibilidade e acessibilidade da rede de conteúdos.

O desenvolvimento das metodologias e aplicativos é compartilhado pela rede, de forma descentralizada e colaborativa, sob a coordenação da BIREME, buscando-se envolver e utilizar as diferentes competências instaladas nas instituições nos processos de criação das fontes de informação. O compartilhamento de boas práticas no uso das metodologias e tecnologias no âmbito da BVS valoriza a transparência das interações entre todos os participantes da rede, especialmente pelo uso intensivo dos espaços colaborativos.

A Rede de Desenvolvedores (RedDes), por exemplo, tem por objetivo fortalecer a rede social formada pelos profissionais das redes BVS, SciELO e ScienTI, promovendo o desenvolvimento e inovação dos serviços e produtos de informação de forma colaborativa em rede.

As fontes de informação da BVS abrangem coleções de diferentes naturezas, de acordo com a tipologia descrita em Tipologia das fontes de informação, que contemplam informação referencial, textos completos, diretórios entre outros. As instâncias geográficas e temáticas da BVS decidem sobre a adoção destas fontes de acordo com suas demandas e necessidades de informação específicas.

Considerando-se que o desenvolvimento das fontes de informação é um processo dinâmico e em constante evolução, a rede de conteúdos da BVS se amplia por meio de um processo contínuo de inovação, que busca atender as demandas dos países e áreas temáticas.

A seguir, a descrição das metodologias e aplicativos que constituem as fontes de informação do tipo 6 – componentes integradores, adotados pelas instâncias BVS e que as integram em uma única rede:

Metodologia LILACS, criada para o desenvolvimento do índice Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS): coletar, organizar e disponibilizar uma rede de informação bibliográfica da literatura técnico-científica em saúde, dos países da América Latina e Caribe. Como metodologia compreende um conjunto de manuais e tecnologias.

LILACS Descrição Bibliográfica e Indexação Web (LILDBI-Web): software que opera de forma online e descentralizada as tarefas de alimentação, manutenção e controle de qualidade de fontes de informação referenciais que seguem a metodologia LILACS. O aplicativo encontra-se descrito em http://metodologia.lilacs.bvsalud.org> Metodologia e Tecnologia > Guias, manuais e notas técnicas ou http://bvsmodelo.bvsalud.org> Metodologias e aplicativos > LILACS.

Scientific Electronic Library Online | Biblioteca Científica Eletrônica Online (SciELO): disponibiliza de forma cooperativa periódicos científicos na Internet em texto completo e acesso aberto por meio de um conjunto de políticas, normas, orientações, procedimentos e ferramentas para a execução das funções de avaliação e seleção de revistas, como também para a preparação, armazenamento, publicação, preservação, controle de uso e impacto de revistas científicas operadas através dos sites SciELO. A metodologia é um dos componentes do modelo SciELO disponível em detalhes aqui.

Espaços Colaborativos ou Comunidades Virtuais: viabilizam e facilitam o uso de canais formais de comunicação pelas redes sociais que registram, recuperam e ampliam a disseminação de suas idéias e conhecimentos entre seus integrantes de forma assíncrona, sem restrição de tempo e localização. Estes espaços na Web têm como características áreas para inserção e compartilhamento de notícias, documentos, imagens, fóruns de discussão, chats e blogs, dentre outras. O aplicativo e o conjunto de funcionalidades para instanciar estes espaços está disponível. Clique aqui.

Diretório de Eventos (DirEve): metodologia que permite coletar, organizar e disponibilizar dados de eventos científicos da área de saúde como congressos, seminários e conferências promovidos principalmente nos países da America Latina e Caribe e do sul global. A plataforma tecnológica para o DirEVE está descrita. Acesse aqui.

Localizador de Informação em Saúde (LIS): metodologia que permite coletar, organizar e disponibilizar metadados para descrição de sites e fontes de informação publicadas na Internet, selecionadas e catalogadas segundo critérios de qualidade e padrões internacionais. Acesse o conjunto de manuais e ferramentas LIS.

Legislação em Saúde (LEYES): metodologia que permite coletar, organizar e disponibilizar uma rede de informação bibliográfica da legislação em saúde dos países da América Latina e Caribe. Contém normas legais relacionadas à atenção à saúde. Abrangem também determinantes econômicos e sociais que influenciam na saúde e se encontram incorporados aos tratados e acordos internacionais.

Seriados em Ciências da Saúde (SeCS): registra, organiza coleções de publicações seriadas permitindo a criação de um catálogo coletivo das bibliotecas cooperantes da BVS, viabilizando seu acesso a publicações via Portal de Revistas em Ciências da Saúde e instâncias em cooperação com a BVS. Acesse seus conteúdos de referência.

Desenho Gráfico e Navegabilidade: o modelo gráfico de interface e navegação da BVS facilita e aumenta a eficiência da operação da BVS e da interoperação com as instâncias associadas, estando descrito aqui.

Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): estruturam na forma de vocabulário e trilingue a indexação de artigos de periódicos científicos, livros, anais de congressos, relatórios técnicos, e outros tipos de materiais, assim como permite também a pesquisa e recuperação de assuntos da literatura científica nas bases de dados LILACS, MEDLINE, entre outras. O DeCS segue a tradição dos sistemas de classificação e respectivas listas de cabeçalhos de assunto que foram sendo transformadas em vocabulários especializados sem, no entanto, abandonar as estruturas dos sistemas de classificação das quais são originários. Sua estrutura hierárquica é fundamentada na divisão do conhecimento em classes e subclasses decimais respeitando as ligações conceituais e semânticas. Seus termos são apresentados em uma estrutura híbrida de pré e pós-coordenação. Sua metodologia e componentes estão disponíveis. Acesse aqui.

BVS-Site: Gerenciador de interface que permite criar e administrar o portal de uma instância BVS associada às demais metodologias e tecnologias da BVS. Descrito aqui.

Família ISIS: a plataforma de sistemas ISIS armazena e recupera informação de fontes textuais do tipo bibliográfico, operando textos completos e diretórios, com alta flexibilidade para gerar e operar índices de recuperação de informação. Com uma história de mais de 20 anos, é muito utilizada por países da América Latina, Europa, África e Oriente Médio, a plataforma tem papel importante na ampliação e enriquecimento do conjunto de soluções para bibliotecas, centros de informação ou em outras áreas globalmente.

A BIREME mantém e disponibiliza aplicações baseadas na tecnologia ISIS, disponíveis em http://bvsmodelo.bvsalud.org  e http://reddes.bvsalud.org, que são: XISIS, Wxis-modules / Wxis-php, CISIS, WWWIsis e ISIS-DLL – CDS/ISIS.

Interface for Access on Health Information | Interface para Acesso de Informação em Saúde (iAH): recupera de forma integrada a informação de bases de dados na Internet ou Intranet e, como um dos componentes integradores, permite a operação entre as diferentes instâncias da BVS. A aplicação conta com manuais e guias de referência disponíveis aqui e tem evoluído em conjunto com o WWWISIS para suportar novas funcionalidades sob a denominação iAHx.

iAHx: aperfeiçoa o mecanismo iAH de apresentação dos resultados de buscas nas instâncias BVS possibilitando visualizar as fontes de informação de forma integrada, individualizada, tipificada, ordenada por critérios pré-definidos e selecionados de acordo com o interesse do usuário. A descrição do componente em detalhes pode ser acessada neste link 

mBVS: estende a disponibilidade e portabilidade das instâncias nacionais, temáticas e regionais da rede BVS, permitindo seu acesso via celulares e dispositivos móveis. A iniciativa coordenada pela BIREME encontra-se em desenvolvimento com linhas de ação sendo disseminadas, porém com tecnologia ainda não disponível para a rede BVS. Veja mais informação.

Timeline: registra eventos organizados cronologicamente e apresentados graficamente na forma de linhas do tempo, destacando as datas-chave e/ou períodos. O componente encontra-se registrado nos guias e manuais.

Este conjunto de metodologias e tecnologias tem o objetivo de integrar as diferentes redes de fontes e fluxos de informação, promovendo a convergência das redes social, de conteúdos e de ambientes aprendizes e informados das diversas instâncias geográficas e temáticas numa única rede BVS. Para isso, a rede BVS, como uma estrutura coesa, com suas instâncias participantes de uma engrenagem orgânica, adota o conceito central de interoperabilidade na organização das suas fontes de informação, tema detalhado na próxima seção.