A BVS, em sua dimensão de biblioteca, se expressa por sua coleção de fontes e fluxos de informação, definidos como qualquer recurso – incluindo-se produtos, serviços, pesquisadores, profissionais, comunidades de prática, notícias, entre outros – que respondam a uma necessidade de informação dos usuários da BVS.

Como vimos, a gestão e a produção de fontes de informação é um dos pilares da BVS (ver A BVS como marco operacional de trabalho em rede), para o cumprimento da sua finalidade de promoção do acesso e uso da informação e do conhecimento científico e técnico em saúde, de forma equitativa por gestores, pesquisadores, professores, estudantes e profissionais dos sistemas de pesquisa, ensino e atenção à saúde e ao público em geral.

A responsabilidade pela gestão e operação das coleções de fontes de informação da BVS é compartilhada pelas instituições participantes. Cabe a estas instituições a definição da sua forma de inserção e participação no desenvolvimento da BVS. A definição destes diferentes papéis é explicitada e consolidada na Matriz de Responsabilidades, documento que faz parte do plano de desenvolvimento da BVS e que indica, para cada fonte de informação da BVS, qual a instituição coordenadora e quais as cooperantes (ver Gestão de instâncias em rede).

Dentre as atividades de gestão das fontes de informação, destacam-se a definição de escopo, o controle de qualidade da informação, a atualização e validação dos registros, o acompanhamento da operação descentralizada e compartilhada pelas diferentes instituições, entre outras (ver Gestão de instâncias em rede).

Os produtores, intermediários e usuários das fontes de informação da BVS, de forma consonante com o paradigma estabelecido pela Internet, interatuam entre si e com as redes de conteúdo em um contexto dinâmico. Desta forma, as funções e atividades relativas à produção, intermediação e uso das fontes de informação são operadas e confluem para o espaço da BVS na Internet.

Portanto, a BVS, como espaço de convergência dos produtores, intermediários e usuários da informação científica e técnica em saúde na Internet, contribui para diminuir a alta dispersão dos recursos de informação na Web e para a geração de conteúdos confiáveis e de qualidade. A adoção do trabalho cooperativo também resulta na otimização dos recursos pela rede e no uso de normas e padrões que impactam positivamente na diminuição de inconsistências de informação, contribuindo de forma determinante para a ampliação da visibilidade e do acesso à informação em saúde.

O caráter científico e o controle de qualidade da informação publicada, o compromisso com a preservação das coleções e a garantia de acesso aos documentos completos, seja em formato eletrônico ou em papel, são algumas das características das fontes de informação da BVS, as quais as distinguem de outros conteúdos disponíveis na Internet. Vale destacar ainda que, de forma distinta dos mecanismos de busca da Internet, a BVS promove a geração e produção de fontes de informação e não somente a recuperação de conteúdos já disponíveis na Web.

Assim, a BVS é concebida como uma rede de fontes de informação produzida de forma descentralizada, por meio da cooperação técnica entre países e instituições da América Latina e Caribe e do sul global. A descentralização da gestão e a operação em rede pautada no desenvolvimento das capacidades locais é aspecto crucial para a sustentabilidade política da BVS, sendo determinante para a preservação do seu caráter de domínio público e de propriedade comum dos sistemas de saúde nos âmbitos nacional e regional. A BVS como recurso de acesso livre garante de forma democrática a participação de todos na sua produção, gestão e uso.

Para viabilizar a gestão e a operação das fontes de informação por meio do trabalho cooperativo em rede, a BIREME promove o fortalecimento das capacidades dos países e instituições na adoção de metodologias, tecnologias, parâmetros de interoperabilidade e qualidade, além de serviços cooperativos, eventos de informação e programas de educação permanente apresentados a seguir.